Eventos em Abril 2019

EVENTO

República Checa e o Mundo Lusófono:

Presente e Futuro da Cooperação

24 / 4 | 13-18h | MNE da República Checa (Loretánské nám. 5, Praga)

coloquio

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da República Checa em cooperação com os países membros da CPLP, com a Sociedade Checa de Língua Portuguesa e com o Instituto Camões, têm a honra de convidar V.Exas para o Seminário
República Checa e o Mundo Lusófono – Presente e Futuro da Cooperação.

O programa conta com abertura e apresentação feita por Martin Tlapa– Vice-Ministro dos Negócios Estrangeiros da República Checa; Luis Tavares– Ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades de Cabo Verde e Teresa Ribeiro– Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Portugal.

Segue-se os paineis de discussão à cerca do Desenvolvimento das Relações Económicas e Comerciais com os Países Lusófonos, e, sobre a Cooperação na Área da Educação, Ciência e Cultura com os Países Lusófonos.

Haverá ainda a entrega dos prémios de tradução Hieronymitae Pragenses e apresentação musical de Camões House Band.
Em português, inglês e checo com tradução simultânea.

Confirme aqui a sua presença.

O programa do seminário

 

COLÓQUIO

VIII COLÓQUIO DA SOCIEDADE CHECA DE LÍNGUA PORTUGUESA

24 – 26 / 4 |  CLP

logo coloquio abril

A Sociedade Checa de Língua Portuguesa, em parceria com o projeto KREAS da Faculdade de Letras, da Universidade Carolina, têm o prazer de convidar para a VIIIa edição do Colóquio da Sociedade Checa de Língua Portuguesa, a ter lugar em Praga nos dias 24 a 26 de abril 2019.

A inauguração solene no dia 24 de abril terá lugar no Ministério dos Negócios Estrangeiros seguida do evento República Checa e o Mundo Lusófono: Presente e Futuro da Cooperação.

Nos dias 25 e 26 de abril, o programa vai decorrer no Instituto Camões em Praga.

No âmbito do Colóquio terá lugar o workshop Literatura nos tempos líquidos, focado na literatura contemporânea dos países de língua portuguesa, com a participação de Jacqueline Penjon (Université Sorbonne Nouvelle, Paris III), Regina Dalcastagnè (Universidade de Brasília) e Annabela Rita (Universidade de Lisboa).

O programa da seção linguística versará sobre Português – Língua de cinco continentes.

O programa do colóquio

 

EXPOSIÇÃO

CRAVOS E VELUDO

ARTE E REVOLUÇÃO EM PORTUGAL E NA CHECOSLOVÁQUIA 1968–1974–1989

30 / 4 – 29 / 9  | GHMP MĚSTSKÁ KNIHOVNA (MARIÁNSKÉ NÁM. 1, PRAHA 1)

Cravos e Veludo / Arte e Revolução em Portugal e na Checoslováquia apresenta a primeira revisão abrangente da arte visual portuguesa na República Checa e na Eslováquia em um diálogo histórico-político com artistas checoslovacos. O ponto de partida comum é 1968, a Primavera de Praga, na Checoslováquia, e a Primavera de Marcelo Caetano, em Lisboa. Este ano foi o primeiro lampejo de esperança para o fim dos regimes antidemocráticos existentes. A esperança que a ocupação soviética frustrou na Checoslováquia e a continuação da guerra colonial em Portugal. Os anos de 1974 e 1989, datas de revoluções pacíficas, trouxeram liberdade para ambos os estados. A Revolução dos Cravos ocorreu em 25 de abril de 1974 e a Revolução de Veludo na Checoslováquia em 17 de novembro de 1989.

Nesta exposição, organizada pela Galeria da cidade de Praga, serão apresentados trabalhos de artistas da antiga Checoslováquia nas suas diversas respostas ao regime totalitário, nomeadamente Adriena Simotová, Eva Kmentová, Jirí Kovanda, Petr Stembera, Jan Mlcoch, Milão Knízák, Jirí Kolár, Václav Havel, Júlio Koller, Lubomír Durcek, entre outros, em diálogo com os contemporâneos portugueses à época, como Helena Almeida, Lourdes Castro, Ana Vieira, Ana Hatherly, Fernando Calhau, Alberto Carneiro, Manuel Alves, Silvestre Pestana, entre outros.

A inauguração da exposição está prevista para o dia 29 de abril, às 18 horas, na Galeria da Cidade de Praga, localizada no segundo piso do edifício da Biblioteca Municipal da capital.

Mais informações sobre a exposição aqui.

1554202958-ana-hatherly-as-ruas-de-lisboa-1977-kolaz-110-x-90-cm-calouste-gulbenkian-museum-modern-collection.jpg

 

EVENTO

CRAVOS E VELUDO

30 / 4 | 19h | Knihovna Václava Havla (Ostrovní 13, Praha1)

karafiaty a samet

A Biblioteca de Václav Havel e a Galeria da cidade de Praga organizam o encontro com os portugueses que vieram para Praga, ainda estudantes na época, para apoiar a democratização da Checoslováquia em dezembro 1989. Os portugueses discutirão com os outros convidados, ativistas checos da Revolução de Veludo, sobre os eventos em Národní Třída onde distribuiram 50 000 rosas entre os manifestantes. Além disso, durante as suas estadias  em Praga, encontraram-se com Václav Havel que convidou Mário Soares, presidente de Portugal na época, para a sua inauguração presidencial.

Irão participar Álvaro Beleza, Diogo Cabrita, António Tavares, José Campelo, José ViegasPaulo Barros Vale e Monika Pajerová e Martin Mejstřík, da parte checa.

Apresentador: Jakub Železný

O evento é organizado na ocasião da exposição Cravos e Veludo. Arte e Revolução em Portugal e na Checoslováquia 1968–1974–1989 na Biblioteca Municipal em Praga.

foto (c) Pavel Hroch / Knihovna Václava Havla

 

EVENTO

NOITE DA LITERATURA: AFONSO CRUZ

9 / 5 | 18h – 23h | TANČÍCÍ DŮM (JIRÁSKOVO NÁM. 6, PRAHA 2)

57240604_2333131756747270_4818161971272613888_o.jpg

A Noite da Literatura, evento literário tradicional de Praga, terá lugar em Praga 2, no dia 9 de maio, entre as 18h e as 23h.

Um dos livros apresentados será o romance As Flores do escritor português Afonso Cruz. Marie Havlíková, tradutora do livro para checo, diz que “o livro tem histórias extraordinárias, é cheio de flores em várias representações, porque as flores acompanham a nossa vida em muitos momentos”.

A leitura do livro português decorrerá em Tančící dům, e Afonso Cruz estará presente pelas 20h. Além disso, o escritor apresentará também o livro no âmbito da Feira do Livro.

 

EVENTO

FEIRA DO LIVRO: AFONSO CRUZ

10 / 5 | 14h | Feira do Livro (Výstaviště, Lapidárium)

Copyright-Paulo-Sousa-Coelho.jpg

Afonso Cruz, escritor, ilustrador, músico e figura incortonável da literatura portuguesa, regressa a Praga para apresentar o seu segundo livro traduzido para checo, Flores, por tradução de Marie Havliková, publicado pela ARGO, em 2018. No encontro, moderado pela poetisa, escritora e editora Marie Iljašenko, Afonso Cruz falará sobre o livro Flores e sobre o panorama atual da literatura contemporânea, com especial destaque para a portuguesa.

Afonso Cruz tem vindo a ser distinguido por vários prémios nacionais e internacionais, como o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco 2010, Prémio Literário Maria Rosa Colaço 2009, Prémio da União Europeia para a Literatura 2012, Prémio Autores 2011 SPA/RTP; Menção Especial do Prémio Nacional de Ilustração 2011, Lista de Honra do IBBY – Internacional Board on Books for Young People, Prémio Ler/Booktailors – Melhor Ilustração Original, Melhor Livro do Ano da Time Out 2012. Foi finalista dos prémios Fernando Namora e Grande Prémio de Romance e Novela APE e conquistou o Prémio Autores para Melhor Ficção Narrativa, atribuído pela SPA em 2014.

O autor é ainda produtor de cerveja, na calma região do Alentejo, em Portugal. A cerveja fê-lo chegar à conclusão que o seu „fabrico pode ser uma escola de filosofia, carregada de metáforas.“

Evento em português, checo e inglês.

O encontro será seguido por sessão de autógrafos no stand de Portugal, acompanhado por um Porto de Honra.

foto (c) Paulo Sousa Coelho

 

EXPOSIÇÃO

MATĚJ VOHRYZEK: VIAGEM À SELVA

ABRIL – MAIO | CLP

Výstřižek

O antropólogo Matěj Vohryzek descobriu o seu sonho ao ver a Floresta Amazônica logo na primeira aula de antropologia. Quando surgiu a possibilidade de estudar na Universidade Federal Fluminense no Brasil não hesitou um segundo. Abriu-se-lhe um mundo completamento novo: percebeu que a exploração da selva da cidade precisa de uma boa dose de coragem. Todavia, não deixou a ideia de explorar a verdadeira selva tropical de Amazônia. Mergulhou intensamente no estudo, graças ao qual conseguiu fazer parte de um grupo de investigação, e realizou uma pesquisa de três meses junto da tribo Waiwai, no rio Trombetas.

Matěj Vohryzek é antropólogo, aventureiro e fotógrafo. Frequenta o doutoramento na Universidade Aix-Marseille, no laboratório IDEMEC, em Maison de la Mediterannée, na França. Foca-se na pesquisa antropológica em tolerância religiosa.  De modo a captar os momentos certos usa uma câmara analógica Canon A-1 nas suas viagens.

As fotografias foram tiradas na Amazônia e também em Cabo Verde, onde o Matěj passou três semanas durante a sua aventura em 2017 quando atravessou o Atlântico pedindo boleia a barcos.

As fotografias da exposição estão à venda.

Anúncios