Eventos no verão 2019

CONCERTO

Rodolfo Figueiredo Live Music

11 / 7 | 19h30 | Mánes restaurant (Masarykovo náb. 250/1, Praga 1)

rodolfo.jpg

Rodolfo é um jovem músico português de Coimbra, que apresenta o seu projeto a solo há cerca de 3 anos. Durante o seu concerto terão a possibilidade de viajar entre Portugal e o Brasil, fazendo uma pequena paragem pelos EUA.

Dos clássicos da música internacional até às canções mais contemporâneas do Pop e do Rock, na voz e na guitarra do Rodolfo irá sentir o sabor e a cultura desses países.

Junte-se a nós na quinta-feira, 11.07, a partir das 19h30, para uma grande noite no Mánes restaurant.

 

EXPOSIÇÃO

CRAVOS E VELUDO

ARTE E REVOLUÇÃO EM PORTUGAL E NA CHECOSLOVÁQUIA 1968–1974–1989

30 / 4 – 29 / 9  | GHMP MĚSTSKÁ KNIHOVNA (MARIÁNSKÉ NÁM. 1, PRAHA 1)

Cravos e Veludo / Arte e Revolução em Portugal e na Checoslováquia apresenta a primeira revisão abrangente da arte visual portuguesa na República Checa e na Eslováquia em um diálogo histórico-político com artistas checoslovacos. O ponto de partida comum é 1968, a Primavera de Praga, na Checoslováquia, e a Primavera de Marcelo Caetano, em Lisboa. Este ano foi o primeiro lampejo de esperança para o fim dos regimes antidemocráticos existentes. A esperança que a ocupação soviética frustrou na Checoslováquia e a continuação da guerra colonial em Portugal. Os anos de 1974 e 1989, datas de revoluções pacíficas, trouxeram liberdade para ambos os estados. A Revolução dos Cravos ocorreu em 25 de abril de 1974 e a Revolução de Veludo na Checoslováquia em 17 de novembro de 1989.

Nesta exposição, organizada pela Galeria da cidade de Praga, serão apresentados trabalhos de artistas da antiga Checoslováquia nas suas diversas respostas ao regime totalitário, nomeadamente Adriena Simotová, Eva Kmentová, Jirí Kovanda, Petr Stembera, Jan Mlcoch, Milão Knízák, Jirí Kolár, Václav Havel, Júlio Koller, Lubomír Durcek, entre outros, em diálogo com os contemporâneos portugueses à época, como Helena Almeida, Lourdes Castro, Ana Vieira, Ana Hatherly, Fernando Calhau, Alberto Carneiro, Manuel Alves, Silvestre Pestana, entre outros.

Mais informações sobre a exposição aqui.

1554202958-ana-hatherly-as-ruas-de-lisboa-1977-kolaz-110-x-90-cm-calouste-gulbenkian-museum-modern-collection.jpg

 

EXPOSIÇÃO

MATĚJ VOHRYZEK: VIAGEM À SELVA

ABRIL – AGOSTO | CLP

Výstřižek

O antropólogo Matěj Vohryzek descobriu o seu sonho ao ver a Floresta Amazônica logo na primeira aula de antropologia. Quando surgiu a possibilidade de estudar na Universidade Federal Fluminense no Brasil não hesitou um segundo. Abriu-se-lhe um mundo completamento novo: percebeu que a exploração da selva da cidade precisa de uma boa dose de coragem. Todavia, não deixou a ideia de explorar a verdadeira selva tropical de Amazônia. Mergulhou intensamente no estudo, graças ao qual conseguiu fazer parte de um grupo de investigação, e realizou uma pesquisa de três meses junto da tribo Waiwai, no rio Trombetas.

Matěj Vohryzek é antropólogo, aventureiro e fotógrafo. Frequenta o doutoramento na Universidade Aix-Marseille, no laboratório IDEMEC, em Maison de la Mediterannée, na França. Foca-se na pesquisa antropológica em tolerância religiosa.  De modo a captar os momentos certos usa uma câmara analógica Canon A-1 nas suas viagens.

As fotografias foram tiradas na Amazônia e também em Cabo Verde, onde o Matěj passou três semanas durante a sua aventura em 2017 quando atravessou o Atlântico pedindo boleia a barcos.

As fotografias da exposição estão à venda.

 

Anúncios